Erika Ender – Tao Longe De Ti

Às vezes… de repente
O seu rosto volta à minha mente
Me persegue noite e dia
Traz consigo a melancolia

Às vezes… Quando sinto
Que achei as forças que preciso
Para seguir o rumo desta vida
Que deixaste frágil e vazia

Me lembro daqueles momentos que vivemos
Quando tudo era tão perfeito
Ou pelo menos assim parecia

E nasce no fundo do peito este lamento
E a vontade de voltar no tempo
Porque ainda dói estar assim

Tão longe de ti…
Tão longe de ti…

Às vezes gostaria
De acabar com toda essa agonia
E mudar o fim da nossa história
Para não sentir que vivo à toa

Às vezes… Não me entendo
Sinto falta até dos teus defeitos
Sem você tudo é tão diferente
Solidão num mar de tanta gente



Comments

comments